Para aluno medalhista ENEM ficou mais difícil


jandson3Destaque em simulado diz que Enem foi difícil e cobrou muito conteúdo.

Jandson Pires acertou 152 das 180 questões, como havia feito em 2012.Estudante espera que redação o ajude a ter nota para entrar em medicina.

Do G1, em São Paulo

Estudantes ouvidos pelo G1 que fizeram as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana e usaram o simulado do Geekie Games – O desafio do Enem como preparação disseram que neste ano o exame estava mais difícil e cobrou mais conhecimento específico em relação aos anos anteriores.

“A prova surpreendeu um pouco, pois teve um nível de dificuldade maior”, afirma Jandson Pires de Oliveira, de 17 anos, de Aracaju (SE), que chegou a ficar em primeiro lugar no ranking do simulado final da plataforma Geekie Games. “Prezaram mais por assuntos específicos, principalmente em ciências da natureza. A prova estava bem mais conteudista e saiu do estilo que cobra mais interpretação”, afirma Jandson Pires de Oliveira, de 17 anos, de Aracaju (SE).

Enem reduz interpretação e fica com jeito de vestibular, dizem professores

Assim como no ano passado, Jandson acertou 152 questões do Enem, mas acredita que é a nota da redação que vai pesar no desempenho final. A redação do Enem teve como tema “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”. “O tema foi inesperado, tiraram do fundo do baú. Lei seca não foi o foco de nenhuma discussão desse ano. Esperava algo sobre meio ambiente ou manifestações populares.” (Nota do site: nossos professores conquistenses Bite e Andréia Abade discutiram muito esse tema!!!)
Na redação, Jandson abordou os efeitos positivos e negativos da Lei Seca. “Falei de boas iniciativas que surgiram como ‘carona amiga’, ‘motorista da rodada’, mas por outro lado ainda existe a crença na impunidade.”
A nota do Enem será divulgada no início de janeiro de 2014, segundo o Ministério da Educação. A nota de cada participante é calculada dentro da Teoria da Resposta ao Item (TRI), que analisa além da quantidade de questões certas em relação ao total, quais questões o candidato acertou, quais questões ele errou e quais foram as respostas dos outros candidatos para as mesmas questões (entenda o cálculo da nota do Enem).
Jandson cursa o terceiro ano do ensino médio no Colégio de Excelência Master paralelo ao primeiro ano em medicina na Universidade Federal do Sergipe (UFS). Este foi o terceiro Enem que o jovem fez. Com a nota obtida no ano passado, se inscreveu no vestibular da UFS no meio do ano e acabou sendo convocado na quarta chamada. Como não tinha concluído o ensino médio, sua matrícula na universidade foi barrada. A família entrou na Justiça para que a UFS aceitasse sua matrícula. O caso está em segunda instância. Com o Enem deste ano ele pretende regularizar a situação.

Guilherme Malheiros já somou mais de 104 mil pontos no simulado do Enem

Só interpretação não bastava
Do Rio de Janeiro, Guilherme Malheiros, de 21 anos, também considerou o nível de dificuldade maior do que nos anos anteriores. “Caíram questões mais específicas de exatas e humanas. Não dava para ir só pela interpretação. Foi uma prova bem conteudista, diferente da proposta inicial, ficou parecido com os vestibulares.”
Guilherme acertou 113 questões do Enem, mas esperava que seu índice de acertos fosse ainda maior, de 130. “Ano passado eu acertei 115, mas errei coisas por bobeira. Dessa vez as que eu errei de bobeira foram poucas.” Para o estudante, o simulado ajudou muito na preparação. “Acho que em matemática o simulado ajudou muita gente, quem fez as missões conseguiu responder a prova. O modelo foi bem parecido.”
Em compensação, para Guilherme o tema da redação foi tranquilo, e ele não teve dificuldade para desenvolvê-lo. “Estou confiante em tirar pelo menos 900 pontos na redação.”
Guilherme já faz faculdade, está perto de se formar em licenciatura em química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), e fez o Enem para apoiar o irmão Gabriel, de 18 anos. Gabriel não teve coragem de conferir as questões no gabarito oficial divulgado pelo MEC.

Os comentários estão fechados.